Cinco pessoas e três empresas vão responder em tribunal por, alegadamente, terem burlado o pároco Fernando Gonçalves de Milheiros de Poiares e de Macieira de Sarnes.

O juiz de instrução considerou que os arguidos se aproveitaram da idade avançada e do debil estado de saúde do padre, convencendo-o a pagar quase 120 mil euros por serviços de promoção das paróquias em listas telefonicas e roteiros que ele não pedira, revela o JN na sua edição de hoje.

Os factos remontam a 2010, quando o padre, na altura com 72 anos, foi confrontado com as alegadas dividas. Entre setembro e dezembro desse ano, representantes das empresas acusadas apresentaram a Fernando Gonçalves vários montantes a pagar, sempre na casa dos milhares de euros, ameaçando-o com acçoes judiciais e convencendo-o a assinar contratos após os pagamentos. Temendo pelo bom nome das paroquias em causa, o padre ia fazendo transferências bancárias e/ou passando cheques sempre protestando por carta.

O JN avança ainda que, a paroquia de Milheiros de Poiares terá pago 82 mil euros e a de Macieira de Sarnes 38,7 mil euros. O esquema só foi travado quando o padre recorreu a um advogado, que ainda conseguiu resgatar três cheques pre-datados.

De acordo com a acusação, os arguidos sabiam que o padre era uma pessoa de idade avançada, com discurso confuso devido ao seu estado de saúde.

Tamém é dito que os arguidos sabiam que as paróquias não  tinham qualquer dívida às sociedades em causa.