Em 2018, o total de visitantes registados nos monumentos e museus geridos pela Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) ultrapassou, pela primeira vez, os 1,8 milhões de visitantes, registando uma subida de 37,2% em relação ao período homólogo. Se a estes resultados se somarem os registos de entradas nos principais monumentos geridos pela DRCN, constata-se um valor próximo dos 6,15 Milhões de visitantes.

Entre os monumentos mais visitados encontram-se o Castelo de Santa Maria da Feira, o Castelo de Guimarães, o Mosteiro da Serra do Pilar (Vila Nova de Gaia), o Mosteiro de Tibães (Braga), o Mosteiro de Arouca, e a Concatedral de Miranda do Douro.
António Ponte, diretor regional de cultura do norte, explica que “o crescimento verificado está relacionado com um trabalho articulado e em rede por todo o território com agentes culturais e autarquias locais, assente numa política de descentralização de investimentos”.
Este responsável acrescenta que, “têm sido desenvolvidos “vários projetos de conservação e restauro do património edificado, visando assegurar a proteção e valorização dos edifícios, sempre com o objetivo de os devolver às comunidades a que pertencem, novos modelos de fruição pública”.