Os vereadores do partido socialista de Santa Maria da Feira propuseram na última reunião de câmara, mas a maioria do executivo permanente chumbou a ideia, de cortar o acesso à rotunda do hospital deixando apenas transitar os veículos de emergência enquanto decorrerem os trabalhos de construção da rotunda de Santo André.

Délio Carquejo defende que o impacto seria menor desde que houvesse um planeamento diferente e o restante transito fosse devidamente sinalizado e desviado por artérias interiores”. Esta alteração iria no entendimento do socialista “permitir executar a obra mais celeremente podendo a conclusão da empreitada ser antecipada”, reforça.

Para o vereador da oposição, a obstrução desta artéria “tem impedido a circulação normal das ambulâncias em emergência, esperando sistematicamente que, os veículos se possam arrumar e ceder passagem”, lamenta, acrescentando que “mesmo que a obra seja concluída dentro de um mês, esta era a melhor decisão para benefício de todos”, sustenta.

Topa Gomes, vereador das obras municipais, tem uma visão diferente do problema. “ Na nossa opinião esta é a solução que causa menos incómodos e garante o acesso de viaturas ao hospital. Por outro lado, não temos tido relatos objectivos e concretos de viaturas de emergência que tenham tido problemas em chegar ao hospital ou que tenha criado alguma dificuldade”, ressalva

A solução do partido socialista “iria colocar o trânsito no interior da cidade caótico, por isso, não vai ser fechada a via”, garante Topas Gomes, recordando que “não há soluções óptimas”.

O vereador tem indicação do empreiteiro que, “dentro de três semanas, a via deve estar pronta a abrir ao trânsito com normalidade”.

 

Foto: CF