A partir de hoje o trânsito fica cortado, definitivamente, no túnel dos passionistas em Santa Maria da Feira, ficando apenas esta via acessível para os peões. A decisão foi tomada pela camara municipal, argumentando o vereador responsável pelo pelouro, Topa Gomes, que esta posição há muito que deveria ter sido assumida, uma vez que a postura de trânsito apenas está de destinada à passagem pedonal. “ A partir de hoje, a sinalização instalada corresponde com a postura de trânsito aprovada”, refere à RCF o vereador responsável pelo pelouro, alegando “haver agora um conjunto de rotundas que melhoraram a circulação naquela zona e, a verdade, é que o túnel apresenta poucas condições para a convivência segura entre os automóveis e os peões”, defende.

Recorde-se que, há muito, a população residente e os comerciantes da urbanização dos passionistas reivindicam uma ligação à cidade. Recentemente, a comissão de moradores e comerciantes reuniu com o executivo permanente e alguns partidos da oposição, dando conta do seu descontentamento.

Topa Gomes reconhece que, “existe alguma dificuldade de circulação naquela zona e, talvez por isso, nunca se aplicou a postura de transito aprovada, mas, agora, com a melhoria das acessibilidades entendeu-se corrigir esta situação”, adianta.

A população foi apanhada de surpresa com a colocação da sinalização a proibir, a partir desta terça-feira, a passagem de automóveis no túnel. Topa Gomes afirma que “foi dado conhecimento à junta de freguesia, e às autoridades locais”.

A decisão assumida, foi prudentemente analisada com diversas entidades, “dado tratar-se de uma medida com alguma complexidade”, reconhece o vereador, sublinhando que “existem mais vantagens que inconvenientes, principalmente não colocar em causa a segurança dos peões que, esses sim, não têm alternativa para se deslocar para o outro lado da cidade”, argumenta.

Para Topa Gomes, a pandemia da Covid19 veio demonstrar também que, “é possível fazer deslocações em bicicleta e a pé substituindo o carro, reduzindo- se radicalmente, o volume de trânsito na cidade com obvias vantagens ambientais”, ressalva.

A construção do túnel da cruz que se fala há décadas, voltou a ser tema numa recente reunião de câmara. Na altura, Emídio Sousa mostrou disponibilidade de o município assumir a realização do projecto, ficando a obra ao encargo do Estado.

Topa Gomes salienta que a pandemia veio atrasar alguns contactos estabelecidos com o Governo. “O foco esteve na saúde pública havendo alguma dificuldade na realização de reuniões, mas continuamos interessados em negociar um protocolo com o Governo, desde que, este, se comprometa a efectuar a obra”, sustenta.

Foto: DR